quinta-feira, 12 de julho de 2018

As pontes do Mota - Há 45 anos

O leito do Rio Mandimba,
com baixo caudal
Ponte sobre o rio Mandimba,
muito perto do quartel
NIASSA, MANDIMBA - 11 de Julho de 1973. São 10 horas da manhã. Cheguei do mato há 36 horas e estou no parrot, em pleno descanso na luta com uma "laurentina". Inesperadamente entra pela porta de armas o visionário Ferrão, chefe da Pide local, com informações altamente secretas. Seguidamente surge o nosso Cap. Moreira Nunes, convencidíssimo que as informações emanadas eram altamente fidedignas e eis  formada a convicção de que era uma operação à medida dos GE`s, ali mesmo na fronteira com o Malawi. Os militares cumpririam certamente o seu dever ainda na lembrança da mentalização que uma alta patente militar debitou: "os soldados portugueses são tão bons como os melhores." 
Após o acidente
Parrot
Lá vai o Mota chamar o companheiro condutor Aguiar para me transportar aos aldeamentos onde viviam os GE`s do meu grupo 401 para que se apresentassem no quartel tão breve quanto possível. Na missão de chamar os militares e logo à saída do quartel, na aproximação da ponte do rio Mandimba, a caminho do Matreze, qualquer coisa não funcionou na viatura e quando dou por ela já estávamos no leito do rio. Eu fui cuspido da viatura, aparentemente apenas com escoriações à vista, e o Aguiar ficou com metade do corpo - da cinta para baixo - sob a viatura, sendo evacuado para Nova Freixo.
Assim se servia a Pátria. Cumprir uma missão: Portugal ia do Minho a Timor. E meditar na frase daquele general (de ar condicionado) "Sinto nos vossos semblantes a alegria de terem servido a Pátria."

Abaixo transcrevo uma carta que enviei à minha namorada - a minha esposa Solene, a descrever o acidente:


(...) Hoje de manhã quando tive que sair no Jeep e ao passar por uma ponte, o condutor enfiou-nos lá para baixo. A queda foi de 6 metros de altura, para cima de pedra. Eu só fechei os olhos e quando os abri e vi que estava vivo, sem nada partido, assim como o condutor, até me pareceu que acabava de nascer novamente. Eu só tenho um arranhão no nariz; o condutor Aguiar é que ficou um pouco pior, mas não tem nada partido. Este foi o dia que tive mais sorte na vida. O jeep ficou todo amassado, sem conserto. Enfim, como vês elas acontecem quando menos esperamos, mas se não morri desta aqui, em Moçambique, também já não devo morrer.
Agora quero pedir-te o favor de não dizeres nada disto à minha mãe ou ao Vieira.(...)

Um abraço a todos os militares da CCAÇ 4242 e CART 2764
Milton Mota

segunda-feira, 28 de maio de 2018

Convívio 2018 aconteceu com a C.AÇ. 4242 E C. ART. 2764

Foi ontem, dia 27 de Maio, que se concentraram em Oliveira do Bairro as 2 últimas Companhias que prestaram serviço - servindo a Pátria -  em Mandimba, Niassa, Moçambique. 
O sino da torre da Igreja de Oliveira do Bairro bateu as 12 horas e  o som das horas cobriu em ondas sucessivas o casario e o coração dos presentes que, em ambiente de completa convergência, procederam à deposição de uma Coroa de Flores no Monumento dos Combatentes do Ultramar, em Oliveira do Bairro, estando presentes os comandantes das 2 companhias, assim como o representante da Liga dos Combatentes.
Para já uma foto de grupo:
Militares da CART 2764 e CCAÇ 4242 posam para a
posteridade

domingo, 6 de maio de 2018

34º CONVÍVIO DA C. CAÇ. 4242 É COM A CART. 2764

É no dia 27 de Maio de 2018 - domingo
Uma organização de Milton Mota - Tel. 962871880 e de Santos - Tel. 911120619
Marquem a vossa presença para os contactos acima mencionados até 18/5 e não faltem. Eu já marquei a minha presença e o SIMAS, que vem dos Açores, também e vindo da Madeira, Moreira Nunes, o nosso capitão também:


- Caros Companheiros de Armas.
As nossas melhores saudações.
O dia 27 de maio está cada vez mais próximo.
Oliveiras há muitas mas, desta vez, é Oliveira do Bairro que nos interessa.
Efetivamente foi para lá marcada a grande concentração, desta vez de duas Companhias, para dar início à Operação Estância.
Por se tratar de uma operação ao nível de companhias é óbvio que aguardamos a presença dos respetivos Comandantes.
A furriel Ana e o furriel Simas, mais uma vez e com muito agrado, têm já em seu poder as respetivas Guias de Marcha que os conduzirão até Oliveira do Bairro na data aprazada.
Esforcem-se por marcarem a vossa presença naquele evento para aquele abraço de saudade dos nossos vinte anos.
Até lá rapaziada! Portem-se bem e … apareçam.
M.M. Simas

 - Bom dia 
Tenho passagem comprada. Em breve direi o n. de pessoas.
Um abraço 
Moreira Nunes

domingo, 29 de abril de 2018

RELATÓRIO DE 1 A 30 ABRIL 1973 - PROMOÇÕES

Transcrição:
"Que nos termos da condição 7ª do artº13º do RPPIE e por terem vaga no QO da C. CAÇ. 4242, sejam promovidos ao posto de 1º CABO os militares abaixo mencionados do GI 133, integrados na C. CAÇ. 4242, com a especialidade de Atiradores por satisfazerem todas as condições de promoção e possuírem sangue frio, resistência física, aprumo militar e desembaraço e serem dotados de energia e decisão. Tem escola de cabos com a classificação que a seguir se indica:
Sold. 70748770 - J. Lobato J. (12,88 valores)
Sold. 70780570 - G. Mepina (13,02)
Sold. 70789670 - V. Varine (12,75)
Sold. 70861870 - A. L. Amire (14,08)
Sold. 70417371 -P. Simão (14,94) 
Sold. 70465771 - E. Echaco (12,52)
Sold. 70467271 - G. Mulessima (15,05)"
In História da C. Caç. 4242 - pag. 43

terça-feira, 24 de abril de 2018

O nosso 25 de Abril foi a 26

Os militares da C. Caç. 4242 que renderam em 1972 a Cart 2764, estavam aquartelados em Mandimba, Niassa, algures entre Nova Freixo (Cuamba] e Vila Cabral (Lichinga).
No dia 25 de Abril de 1974, estranhamente, não eram emitidos programas na Rádio Clube Moçambique. Era transmitida apenas música clássica.
Nesse dia ouvíamos informações de uma rádio da África do Sul, anunciando que houvera um golpe de estado em Lisboa.
Confrontado o inspector da Pide em Mandimba - o sr. Ferrão -, este limitou-se a dizer em tom ameaçador: "depois não se queixem que estão com azar".
O nosso 25 de Abril foi a 26. Só no dia seguinte surgiram informações da revolução dos cravos em Lisboa, que para nós seria um acelerador do nosso regresso à Metrópole, embora não fosse assim tão linear:
"Na 5ª feira do dia 25 de Abril de 1974 continuámos o caminho pela linha do caminho de ferro [Belém - Catur] a fim de detectar uma possível travessia do inimigo [Frelimo], mas as buscas foram infrutíferas. É de salientar a atitude do 1º cabo nº 1183/72, pela maneira como respondeu, fortemente, de pé, ao fogo do sentinela inimigo, afirmando ele que lhe atirou 3 tiros, relativamente perto, atingindo-o, certamente
" (extracto do relatório da operação de Juma a Namicoio Velho)
In História da C. Caç. 4242

quinta-feira, 29 de março de 2018

Operação Nacar


  • 29MAR1973 - Grupo Galo - Patrulha moto até à ponte do rio Luchímua e montagem de emboscadas na confluência do rio Luchímua e rio Nalenge, por 3 dias.
  • 01ABR1973 - Grupo Cobra - Nomadização na região da serra Scheculo e margem sul do rio Luchímua, por 2 dias, e continua com nomadização na região de coordenadas (1351.3540) e (1552,5.3547), por 3 dias.
    Foto do Castro (Trofa)
    Militares fazem pausa em missão de nomadização
  • 04ABR1973 - Grupo Lince - Patrulha até Licuácua (3540,5.1412,2) seguido de nomadização na região entre o rio Lussagadze e rio Luaca, por 4 dias.
In História da C. Caç. 4242



Mensagem de Jaime Leite: Agradeço e retribuo os desejos de Feliz Páscoa para todos os ex companheiros  de luta e familiares. Abraço todos.

Mensagem de DelfimCompanheiros da ccaç 4242 MANDIMBA MOÇAMBIQUE. Desejo a todos uma feliz Páscoa um grande Abraço.Delfim Rodrigues Rio de Janeiro.

sexta-feira, 9 de março de 2018

CONVÍVIO 2018 É EM OLIVEIRA DO BAIRRO

Camaradas e amigos.                       
Cá estou para lembrar que dia 27 de Maio próximo será o dia do nosso encontro anual.
Além de todos os motivos que nos leva, todos os anos, a fazer quilómetros e quilómetros para convivermos umas horas, é recordar os bons e maus momentos que passámos desde Abrantes até ao dia da desmobilização.
Este ano teremos a companhia de quem nos recebeu em Mandimba, que foram os camaradas da COMP.  DE ARTILHARIA 2764.
      Conforme já anunciado, o almoço convívio será no restaurante da residencial ESTÂNCIA  em OLIVEIRA DO BAIRRO (BAIRRADA).
     Para os habituais contactos de marcação vamos ter à disposição os números: 962 871 880 MILTON MOTA (ex fur.) e 911 120 619 SANTOS (ex. 1.ºcabo enf.
      Um abraço a toda a família da C.CAÇ 4242.
                                                                                                MILTON MOTA

domingo, 25 de fevereiro de 2018

Aquartelamentos de Moçambique

Fotos extraídas do livro "Aquartelamentos de Moçambique" da autoria de Manuel Pedro Dias, pag. 55 e 56