quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

MANDIMBA, 21 DE MARÇO DE 1973

Militares da C. Caç. 4242 - escolta 
em modo de relaxe
No domingo passado os turras colocaram 4 minas na linha férrea de Nampula-Vila Cabral, que passa em Belém, a cerca de 40 km de Mandimba. O local onde os engenhos explodiram pertence à nossa zona de acção. Eram 4 minas ligadas mas apenas rebentou uma que atingiu a última carruagem, provocando o descarrilamento do comboio, ferindo dois soldados e um furriel. Apanharam um grande susto os militares de uma companhia que vinha da Metrópole e que ia para Nova Coimbra, no Niassa.
Diário de um militar da C. Caç. 4242

domingo, 16 de dezembro de 2018

BOAS FESTAS DE NATAL E NOVO ANO FELIZ

Boas Festas de Natal e Novo Ano de 2019 com muitas felicidades para todos os militares da CCAÇ. 4242 e CART. 2764 e seus familiares e para todos os leitores deste blogue.

Enviem as vossas mensagens para publicação no blogue através do mail do nosso director: mcalmeida49@gmail.com





1. Avelino Teixeira enviou a seguinte mensagem: votos sinceros de Boas Festas e que o   ano novo trago muitos presentes no sapatinho
2.Manuel Moreira Nunes, o nosso capitão,  enviou a seguinte mensagem: Caro Almeida
Agradeço e retribuo os votos de Boas Festas . Um santo NATAL para todos os camaradas da ccac 4242 bem como as vossas famílias.
 Espero no próximo ano voltar a abraçar-vos em Oliveira do Bairro.
Um grande abraço 
3.Joaquim Cebola (Nisa) enviou a seguinte mensagem: Feliz Natal e próspero ano novo a todos os camaradas da C.Caç.4242, do condutor auto Nisa!
4. Adérito Roxo enviou a seguinte mensagem: Boas Festas de Natal e Ano Novo a todos os companheiros da CCAÇ4242 que recordo com saudade nestes dias festivos.
Um grande abraço .


quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

Almoço/Convívio 2019

Camaradas e amigos da CCAÇ 4242 e CART 2764.


        Conforme combinado no último almoço convívio, cá estou a comunicar a todos vós a data do próximo. 
Parece que ainda falta muito tempo para a data marcada, mas os dias passam demasiado rápido e quando damos por ela já estamos novamente em maio de 2019. 
Em reunião com o nosso camarada Helder Lusio (cart. 2764) e depois de consultarmos diversos restaurantes e datas disponíveis, optámos pelo dia 11 de Maio (sábado) de 2019.
O locar e restaurante será o mesmo deste ano: OLIVEIRA DO BAIRRO restaurante da residencial ESTÂNCIA. 
O resto do programa será anunciado no inicio do próximo ano.
Aproveito a oportunidade para enviar a todos os camaradas da CCAÇ 4242 e da CART 2764 um grande abraço e o desejo de um bom NATAL e umas boas entradas em  2019.

                Milton MOTA  (Ex. furr. GEs )  

sábado, 10 de novembro de 2018

10NOV1972 – Campo Militar de Santa Margarida -
(…) Na 3ª feira à noite fomos à feira da Golegã, no mini do Saramago Leite; outros foram no veículo do Almeida Vago. Objectivo:  beber uma água-pé e esquecer que dentro de 15 dias iríamos embarcar para Moçambique para defender, com orgulho e sentido de responsabilidade, Portugal. Amanhã vai à feira da Golegã, o Tomás presidente papar mais uma jantarada e a Gertrudes cortar uma fita.
O dia 11 começa a acordar num torpor de ressaca - que o diga o Azevedo - como se fosse difícil sacudir o sono. 
Um a um os homens vão despertando a custo.
Segundo novas informações iremos para Marrupa. É no Niassa, numa zona mais operacional do que Mandimba, zona que inicialmente nos estava destinado. A certeza só a teremos quando chegarmos.
A partir daquele momento o valor da vida descerá a cada metro a percorrer por aquela fila de combatentes que se embrenhará nas matas densas daquele planalto do Niassa, lá onde há mais feras do que homens.
  A partida para Moçambique está agendada para as 21 horas do dia 28 de Novembro - uma 3ª feira, num boeing 707 dos TAM. A viagem do campo militar de Stª Margarida até Figo Maduro será efectuada em autocarros, ao escurecer, para que ninguém veja mais uma manada de carne para canhão a partir para aquelas longínquas paragens que Livingstone considerou as "terras do fim do mundo".
Diário de um militar da C. Caç. 4242

sexta-feira, 19 de outubro de 2018

O REGRESSO DOS SOLDADOS - HÁ 44 ANOS

19 OUTUBRO 1974 - Regressaram no voo dos TAM os militares da C. CAÇ.4242.
A viagem foi penosa como todo o percurso militar. Ao olhar para trás, à saída da porta de armas do quartel em Mandimba uma fila enorme de viaturas com militares nostálgicos mas satisfeitos porque, enfim, o regresso muito esperado a casa. 
Finalmente a retirada,
rumo a Nampula
Quem seguia na 1ª viatura? E na última?Viaturas militares que sulcaram o pó da picada durante quase 2 dias até Nampula. Nesta cidade permaneceram vários dias para procedimentos burocráticos como a comissão liquidatária. 
Depois, a partida em avião para a cidade da Beira, com aventuras e peripécias diversas,  à espera de embarque para Lisboa
À chegada a Lisboa, no crepúsculo iluminado da capital, vem à lembrança o poeta Cesário Verde: "Nas nossas ruas ao anoitecer, /há tal soturnidade, há tal melancolia/...O céu parece baixo e de neblina..."
À chegada a Figo Maduro a alegria estampou-se no rosto de todos os militares. Feito o espólio, a guia de marcha no bolso,  o pagamento do que era devido, cada um regressou a sua casa.
A história não acaba aqui. Todos os anos estes militares encontram-se: ontem em Gaia, hoje em http://www.mirafreita.pt/, amanhã na Covilhã ou em Nisa ou em Cantanhede. E sempre lembrando os que já não estão connosco.
Um abraço para todos.

sexta-feira, 5 de outubro de 2018

OPERAÇÃO DEBELAÇÃO

DEBELAÇÃO 4 - 10 JAN1973 - CORVO + G DAVID + POP ARMADA
Nomadização e batida na margem sul do rio Luchímua, desde a serra do Scheculo até à fronteira, conjugada com emboscadas ao longo da fronteira, em coordenação com a operação "AUDAZ 23" da FIS do BCAÇ. 20, por 3 dias.

DEBELAÇÃO 6 - 17 JAN1973 - LINCE + G COM C. CAÇ. 4242
Nomadização na região da serra Scheculo, com batida da serra e da margem sul do rio Luchímua até à confluência com a serra Lissiete, em coordenação com o operação "AUDAZ 5" da FIS do BCAÇ. 20 e operação "AURA 4" da C. CAÇ. Vila Cabral, por 4 dias.

DEBELAÇÃO 9 - 27 JAN1973 - LINCE
Patrulha moto até Matreze, coordenadas 3536.1419, seguida de patrulha apeada ao longo da fronteira, com batida ao monte Chesula e serra Scheculo, por 4 dias.

História da C. Caç. 4242, pag. 12

Para descontrair abrir link abaixo do Zé da Fisga 

http://www.youtube.com/watch?v=9Vml5UbrW8c

segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Praia Fluvial do Rio Lugenda

Corriam os anos de 1972/74.
Militares da C. Caç. 4242 banham-se na cascata do rio Lugenda, muito próximo de Mandimba. 
Jovens despreocupados, com 21 anos de idade, ignorando os jacarés e a praga dos macacos e as cobras e o feijão macaco, a matacanha e a micose e os "afrontamentos".
O rio Lugenda é um rio de Moçambique, afluente da margem direita do Rio Rovuma.
Militares da C. Caç. 4242,
em horas de ócio
Nasce no lago Chiuta, partilhado com o Malawi, percorre o lago Amaramba, a norte e, a seguir toma a direcção SO-NE, atravessa os distritos de Mandimba e Majune, faz parcialmente a fronteira entre este distrito e Marrupa e entre este e Mecula, a seguir separa este distrito do de Mueda, confluindo com o rio Rovuma perto de Negomano, no extremo noroeste da província de Cabo Delgado.
A natureza superou-se na hora de criar o Niassa. E em nenhum sítio é tão claro como nas margens do rio Lugenda, paraíso de plantas, homens e animais. (A Volta ao Mundo, Janeiro 2009)

quinta-feira, 12 de julho de 2018

As pontes do Mota - Há 45 anos

O leito do Rio Mandimba,
com baixo caudal
Ponte sobre o rio Mandimba,
muito perto do quartel
NIASSA, MANDIMBA - 11 de Julho de 1973. São 10 horas da manhã. Cheguei do mato há 36 horas e estou no parrot, em pleno descanso na luta com uma "laurentina". Inesperadamente entra pela porta de armas o visionário Ferrão, chefe da Pide local, com informações altamente secretas. Seguidamente surge o nosso Cap. Moreira Nunes, convencidíssimo que as informações emanadas eram altamente fidedignas e eis  formada a convicção de que era uma operação à medida dos GE`s, ali mesmo na fronteira com o Malawi. Os militares cumpririam certamente o seu dever ainda na lembrança da mentalização que uma alta patente militar debitou: "os soldados portugueses são tão bons como os melhores." 
Após o acidente
Parrot
Lá vai o Mota chamar o companheiro condutor Aguiar para me transportar aos aldeamentos onde viviam os GE`s do meu grupo 401 para que se apresentassem no quartel tão breve quanto possível. Na missão de chamar os militares e logo à saída do quartel, na aproximação da ponte do rio Mandimba, a caminho do Matreze, qualquer coisa não funcionou na viatura e quando dou por ela já estávamos no leito do rio. Eu fui cuspido da viatura, aparentemente apenas com escoriações à vista, e o Aguiar ficou com metade do corpo - da cinta para baixo - sob a viatura, sendo evacuado para Nova Freixo.
Assim se servia a Pátria. Cumprir uma missão: Portugal ia do Minho a Timor. E meditar na frase daquele general (de ar condicionado) "Sinto nos vossos semblantes a alegria de terem servido a Pátria."

Abaixo transcrevo uma carta que enviei à minha namorada - a minha esposa Solene, a descrever o acidente:


(...) Hoje de manhã quando tive que sair no Jeep e ao passar por uma ponte, o condutor enfiou-nos lá para baixo. A queda foi de 6 metros de altura, para cima de pedra. Eu só fechei os olhos e quando os abri e vi que estava vivo, sem nada partido, assim como o condutor, até me pareceu que acabava de nascer novamente. Eu só tenho um arranhão no nariz; o condutor Aguiar é que ficou um pouco pior, mas não tem nada partido. Este foi o dia que tive mais sorte na vida. O jeep ficou todo amassado, sem conserto. Enfim, como vês elas acontecem quando menos esperamos, mas se não morri desta aqui, em Moçambique, também já não devo morrer.
Agora quero pedir-te o favor de não dizeres nada disto à minha mãe ou ao Vieira.(...)

Um abraço a todos os militares da CCAÇ 4242 e CART 2764
Milton Mota

segunda-feira, 28 de maio de 2018

Convívio 2018 aconteceu com a C.AÇ. 4242 E C. ART. 2764

Foi ontem, dia 27 de Maio, que se concentraram em Oliveira do Bairro as 2 últimas Companhias que prestaram serviço - servindo a Pátria -  em Mandimba, Niassa, Moçambique. 
O sino da torre da Igreja de Oliveira do Bairro bateu as 12 horas e  o som das horas cobriu em ondas sucessivas o casario e o coração dos presentes que, em ambiente de completa convergência, procederam à deposição de uma Coroa de Flores no Monumento dos Combatentes do Ultramar, em Oliveira do Bairro, estando presentes os comandantes das 2 companhias, assim como o representante da Liga dos Combatentes.
Para já uma foto de grupo:
Militares da CART 2764 e CCAÇ 4242 posam para a
posteridade

domingo, 6 de maio de 2018

34º CONVÍVIO DA C. CAÇ. 4242 É COM A CART. 2764

É no dia 27 de Maio de 2018 - domingo
Uma organização de Milton Mota - Tel. 962871880 e de Santos - Tel. 911120619
Marquem a vossa presença para os contactos acima mencionados até 18/5 e não faltem. Eu já marquei a minha presença e o SIMAS, que vem dos Açores, também e vindo da Madeira, Moreira Nunes, o nosso capitão também:


- Caros Companheiros de Armas.
As nossas melhores saudações.
O dia 27 de maio está cada vez mais próximo.
Oliveiras há muitas mas, desta vez, é Oliveira do Bairro que nos interessa.
Efetivamente foi para lá marcada a grande concentração, desta vez de duas Companhias, para dar início à Operação Estância.
Por se tratar de uma operação ao nível de companhias é óbvio que aguardamos a presença dos respetivos Comandantes.
A furriel Ana e o furriel Simas, mais uma vez e com muito agrado, têm já em seu poder as respetivas Guias de Marcha que os conduzirão até Oliveira do Bairro na data aprazada.
Esforcem-se por marcarem a vossa presença naquele evento para aquele abraço de saudade dos nossos vinte anos.
Até lá rapaziada! Portem-se bem e … apareçam.
M.M. Simas

 - Bom dia 
Tenho passagem comprada. Em breve direi o n. de pessoas.
Um abraço 
Moreira Nunes

domingo, 29 de abril de 2018

RELATÓRIO DE 1 A 30 ABRIL 1973 - PROMOÇÕES

Transcrição:
"Que nos termos da condição 7ª do artº13º do RPPIE e por terem vaga no QO da C. CAÇ. 4242, sejam promovidos ao posto de 1º CABO os militares abaixo mencionados do GI 133, integrados na C. CAÇ. 4242, com a especialidade de Atiradores por satisfazerem todas as condições de promoção e possuírem sangue frio, resistência física, aprumo militar e desembaraço e serem dotados de energia e decisão. Tem escola de cabos com a classificação que a seguir se indica:
Sold. 70748770 - J. Lobato J. (12,88 valores)
Sold. 70780570 - G. Mepina (13,02)
Sold. 70789670 - V. Varine (12,75)
Sold. 70861870 - A. L. Amire (14,08)
Sold. 70417371 -P. Simão (14,94) 
Sold. 70465771 - E. Echaco (12,52)
Sold. 70467271 - G. Mulessima (15,05)"
In História da C. Caç. 4242 - pag. 43