domingo, 23 de outubro de 2016

Venceslau e Outras Histórias de Mamíferos Como Nós

Hoje é lançamento do livro do Rui Jackareh, filho do nosso Director Almeida Psícola e grande entusiasta e animador dos encontros da C. Caç. 4242.

Para mais informações:

https://www.facebook.com/ruipedroalmeida6230?fref=nf&pnref=story

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

O REGRESSO DOS SOLDADOS - HÁ 42 ANOS

19 OUTUBRO 1974 - Regressavam no voo dos TAM os militares da C. CAÇ.4242.
A viagem foi penosa como todo o percurso militar. Ao olhar para trás, à saída da porta de armas do quartel em Mandimba uma fila enorme de viaturas com militares nostálgicos mas satisfeitos porque, enfim, o regresso muito esperado a casa. 
Finalmente a retirada,
rumo a Nampula
Quem seguia na 1ª viatura? E na última?Viaturas militares que sulcaram o pó da picada durante quase 2 dias até Nampula. Nesta cidade regista-se a permanência de vários dias para procedimentos burocráticos como a comissão liquidatária. 
Depois, a partida em avião para a cidade da Beira, com aventuras e peripécias diversas,  à espera de embarque para Lisboa
À chegada a Lisboa, no crepúsculo iluminado da capital, vem à lembrança o poeta Cesário Verde: "Nas nossas ruas ao anoitecer, /há tal soturnidade, há tal melancolia/...O céu parece baixo e de neblina..."
À chegada a Figo Maduro a alegria estampou-se no rosto de todos os militares. Feito o espólio, a guia de marcha no bolso,  o pagamento do que era devido, cada um regressou a sua casa.
A história não acaba aqui. Todos os anos estes militares se encontram: ontem em Cantanhede, hoje em http://www.mirafreita.pt/, amanhã na Covilhã ou em Nisa. E sempre lembrando os que já não estão connosco.
Um abraço para todos.

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Mensagem do Mota

Há dias recebi um telefonema do nosso amigo Almeida (psícola) que tinha alguém ao lado dele que me queria cumprimentar; quem seria? Para meu agrado e de todos nós saiu o nosso camarada VEIGA, ex. furriel da C.CAÇ 4242.
Quem é o VEIGA?
É aquele individuo (natural de Nampula) que apareceu em Mandimba  e que calçava botas n.º 45, um tamanho acima da média. As ditas botas eram tão grandes que o nosso amigo Azevedo as calçava sempre quando bebia uns copos, pois serviam-lhe de base de sustentação - o Azevedo calça o 38!...
O Veiga, além de calçar botas 45 - um tamanho grande - também tem um coração ainda maior, pois é dos camaradas que sempre é lembrado quando nos reunimos nos nossos jantares anuais, pelo que desde já faço daqui um apelo ao VEIGA para este ano estar presente no próximo jantar convívio, para receber um abraço de todos nós.
Mota e Veiga


Paixão, Mota e Veiga
Aqui envio duas fotos datadas de maio/junho de 1974; uma tirada na messe de sargentos com o Paixão a dar-me bebida na boca para eu não me cansar muito e o Veiga. E outra, tirada, sentados sobre a obra de arte dirigida e executada pelo nosso amigo Macedo: O PAIOL.

Um abraço para toda a família da C.CAÇ 4242.