sábado, 25 de abril de 2015

O nosso 25 de Abril foi a 26

Os militares da C. Caç. 4242 estavam aquartelados em Mandimba, Niassa, algures entre Nova Freixo e Vila Cabral.
No dia 25 de Abril de 1974, estranhamente, não eram emitidos programas na Rádio Clube Moçambique. Passava apenas música clássica.
Nesse dia ouvíamos informações de uma rádio da África do Sul, anunciando que houvera um golpe de estado em Lisboa.
Confrontado o inspector da Pide de Mandimba - o sr. Ferrão -, este limitou-se a dizer em tom ameaçador: "depois não se queixem que estão com azar".
O nosso
25 de Abril foi a 26. Só no dia seguinte surgiram informações da revolução dos cravos em Lisboa, que para nós seria um acelerador do nosso regresso à Metrópole, embora não fosse assim tão linear:
"Na 5ª feira do dia 25 de Abril de 1974 continuámos o caminho pela linha do caminho de ferro [Belém - Catur] a fim de detectar uma possível travessia do inimigo [Frelimo], mas as buscas foram infrutíferas. É de salientar a atitude do 1º cabo nº 1183/72, pela maneira como respondeu, fortemente, de pé, ao fogo do sentinela inimigo, afirmando ele que lhe atirou 3 tiros, relativamente perto, atingindo-o, certamente
" (extracto do relatório da operação de Juma a Namicoio Velho)
In História da C. Caç. 4242